Já faz um tempo que os drones estão ganhando espaço. E quem pensa que eles são apenas um brinquedo a mais no mercado, está muito enganado. Atualmente as empresas mais inovadoras estão apostando neles em suas estratégias, como é o caso do iFood, que recentemente recebeu autorização para utilizá-los nas entregas. No agronegócio os drones dão um show à parte. Segundo a pesquisa “Situação da Indústria de Drones 2022”, que é divulgado anualmente pela empresa estadunidense DroneDeploy, mais da metade dos agricultores (54%) pretende aumentar os investimentos em drones neste ano.

O estudo mostrou que do total de entrevistados, 33% planejavam aumentar seus gastos entre 10% e 50% e cerca de 21% das pessoas afirmaram que devem aumentar os gastos em 50% ou mais em sistemas e equipamentos para drones.

Os produtores mostraram interesse em expandir os investimentos nas áreas de pulverização de culturas, fertilização e amostragem de solo. Até 2020, os principais objetivos eram a digitalização de operações (58%) e eficiência no planejamento (50%).

O motivo para isso

Para 67% dos entrevistados, o principal motivo para o investimento é o aumento da produtividade proporcionada pela utilização dos drones. Outros 64% apostam na tecnologia por ela oferecer operações mais eficientes e 60% opta por conta da facilidade de documentar a rotina.

Em 2021, a eficiência operacional liderava a lista com 56%, seguida por aumento de produtividade (52%) e redução de custos (45%).

Para 54% dos entrevistados da agricultura os drones se tornarão muito mais comuns nos próximos dois anos; com 15% dizendo que serão onipresentes. Será?

(Com informações de Agrolink)