Encontrar soluções sustentáveis para aumentar a escala de produção de alimentos é o grande desafio enfrentado pelo agronegócio na atualidade. O uso dos conhecidos bioinsumos surgem então como alternativa para solucionar parte do problema. Além de diminuir o impacto ambiental, dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) mostram que seu uso representa uma economia de US$ 13 bilhões por ano ao setor agrícola. O Brasil já é líder no assunto, mas pode crescer ainda mais.

Os bioinsumos são feitos a partir de microrganismos, extratos vegetais e agentes biológicos e podem ser utilizados em diversas etapas da produção de alimentos no agronegócio para promover o crescimentos das plantas, aumentar a produtividade e fazer o controle de pragas e doenças.

De acordo com a Embrapa, o Brasil possui uma das maiores diversidades biológicas do planeta, é líder mundial em bioinsumos, mas ainda tem um grande potencial para ampliar o uso dessas tecnologias amigas da natureza.

Imagem: Unsplash

De acordo com a CropLife Brasil, a associação de biológicos com inseticidas tem a capacidade de aumentar a eficácia do controle de pragas de 50% para mais de 90%. Estudos realizados em lavouras que utilizaram produtos biológicos associados a defensivos químicos indicaram um acréscimo na produção de 775kg/ha em lavouras de milho e 400kg/ha em lavouras de soja.

Os insumos biológicos são importantes aliados para um mundo mais sustentável, além de oferecer crescimento da produção e ótimo retorno financeiro ao produtor. Para o consumidor existe a garantia de alimentos mais saudáveis, obtidos através de uma agricultura sustentável.

(Com informações do Agrolink)