Um estudo, desenvolvido por pesquisadores da Austrália, Polônia, Itália e Suiça, comprovou que quem come carne vive mais e melhor. A pesquisa, publicada em fevereiro, comparou pessoas que consomem carne bovina e as que não consomem em 175 países.

Segundo o médico cardiologista, e pecuarista, Nabih Amin El Aouar, presidente da Associação de Criadores de Nelore do Brasil (ACNB), em entrevista ao Canal Rural, o estudo esclarece de uma vez por todas os benefícios sobre o consumo de carne vermelha para a nutrição humana.

Para ele, a carne, assim como o ovo e o leite, estavam numa espécie de lista negra para nutrição e saúde humana devido a registros de condições de mortalidade e morbidade identificadas na década de 1960 na população nos Estados Unidos. Mas, nenhum estudo comprovou cientificamente que a carne era a responsável pelas mortalidades.

“É um dos raríssimos alimentos que tem uma rica fonte de proteínas com todos os nove aminoácidos essenciais e especialmente o ferro heme que tem uma importância fundamental dos glóbulos vermelhos, das hemácias e na condução do oxigênio no corpo”, explicou Nabih.

E engana-se quem pensa que a gordura faz mal. O profissional disse que ela é um item essencial à saúde, extremamente benéfica pois está relacionada à produção dos hormônios sexuais, do cortizol, que é o hormônio da disposição, além de promover a inteligência humana e a saciedade das pessoas.

Ele comentou ainda que é por causa da gordura, que diferente dos demais animais, o ser humano não precisa gastar todo o seu tempo se alimentando como fazem os animais herbívoros, por exemplo.

“O ser humano se alimenta duas ou três vezes por dia, e tem tempo para trabalhar, para estudar, para se reproduzir, para se entreter e para dormir. Veja só como é importante a função da carne como um alimento concentrado que fornece a maior parte dos componentes de nossa nutrição”, finalizou.

(Com informações do Canal Rural)