O Paraná agora conta com um novo atrativo que vai deixar as pessoas encantadas com a beleza, e o aroma, dos campos de lavanda. A Rota da Lavanda, lançada durante a ExpoLondrina 2022, possui diversos atrativos, entre eles os lindos campos cultivados. Eles estão localizados em quatro propriedades de diferentes regiões, incluindo o laboratório do campus de Umuarama da UEM, onde é possível ver, por exemplo, o processo de extração do óleo essencial da planta. Palmeira, Carambeí, Londrina e Umuarama são os municípios que fazem parte da rota.

Quem faz a Rota da Lavanda pode apreciar o aroma inconfundível da lavanda e ainda provar produtos como o chá e a geleia feitos com a planta. Segundo o presidente do IDR-Paraná, Natalino Avance de Souza, a iniciativa de fomentar o turismo rural como mais uma opção de renda para estas propriedades vai ao encontro com a missão do Instituto, que é melhorar a qualidade de vida de quem vive no campo.

“É significativo estar discutindo o turismo e a produção de lavanda para geração de renda. Estamos acostumados a falar de agricultura numa visão mais macro, mas essa também é a nossa agricultura e precisamos oferecer mecanismos para que estes produtores tenham oportunidades de negócios e renda”, afirmou.

Para o secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, é dever do Estado articular para que o agricultor tenha alternativas inovadoras para uma lavoura que ofereça maior resultado. “Vejo na Rota das Lavandas um jeito novo de pensar em agricultura para que o produtor tenha mais renda e mais opções para venda dos seus produtos. É nosso dever criar iniciativas que facilitem a vida no campo”, afirmou.

Foto: Divulgação

A rota, além de oferecer informações técnicas sobre a produção e trazer a beleza dos lavandários, conta com novidades como sorvete, chocolate e geleia produzidos com a planta. E quem completar a roteiro pode conhecer o método para extração de óleos essenciais, tanto na lavoura quanto no laboratório da UEM.

A criação da rota foi uma iniciativa do programa de Turismo Rural do IDR-Paraná. “O instituto já trabalha diretamente com estes produtores ao orientar sobre extração de óleo e comercialização dos produtos e, então, a rota surgiu justamente com a ideia de roteirizar os produtos da agricultura paranaense para diversificar a geração de renda dos produtores”, afirmou Terezinha Busanello, coordenadora de Turismo Rural do IDR-Paraná.

Segundo Lais Adamuchio, coordenadora regional do IDR, trata-se de mais uma iniciativa para incentivar a produção desta planta medicinal que pode ser altamente lucrativa aos produtores. De acordo com ela, que oferece assistência técnica diretamente aos agricultores, a produtividade média da lavanda é de 70 litros de óleo essencial por hectare, mas pode ser ainda maior.

“O Paraná já é referência na produção de plantas aromáticas e medicinais. O Brasil exporta 120 toneladas de lavanda por ano e nós produzimos em torno de 1% deste total. Temos capacidade para aumentar e temos mercado para o produto”, destacou.

Pontos Turísticos

Foto: divulgação

Em Carambeí, a rota passa pelo Het Dorp, um vilarejo com características holandesas com foco no turismo rural. Além de conhecer a lavoura, o visitante pode acompanhar o processo que transforma a planta em uma variedade de produtos artesanais. A propriedade conta ainda com uma queijaria e também oferece o contato com bezerros.

Em Londrina está a propriedade Santa Lavanda, no segmento do turismo de experiência. Os turistas são recebidos com uma água saborizada e shortbread de lavanda, um tradicional biscoito holandês. Em seguida, assistem a uma palestra sobre os benefícios da planta e a diferença das espécies e, então, seguem para o campo onde aprendem a podar e podem levar um buquê de lavandas para casa como presente.

Quem não conhece o sorvete, a geleia de lavanda e o chocolate feitos com a planta poderá experimentá-los no Lavandário Vale dos Sonhos, que fica em Palmeira. Além do campo de lavandas, o espaço conta também com três lagos e um celeiro country, e oferece ensaios fotográficos e visita guiada, com agendamento prévio. É possível comprar produtos no armazém e participar de cursos de aromaterapia.

Toledo, na região Oeste, também faz parte do roteiro com a propriedade Alfazenda, que possui um espaço para venda do que é produzido no local e explica sobre o cultivo da lavanda e a extração do óleo essencial.

Aqueles que desejam saber mais sobre a extração do óleo, especificamente, e como ele pode ser utilizado no dia a dia devem visitar o laboratório TEC BIO, da Universidade Estadual de Maringá (UEM), que fica em Umuarama. É possível acompanhar o preparo das amostras e a montagem dos equipamentos para extração do óleo e a análise de qualidade, além de ajudar na produção de um creme hidratante. O visitante tem a oportunidade de conhecer o cheiro de 25 diferentes óleos essenciais e testar diversas combinações de sinergias.

(Informações Agência Estadual de Notícias)