Começa hoje a 27ª edição da Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação (Agrishow) com soluções para diversas cadeias produtivas do agro brasileiro. A Embrapa já garantiu presença com muitas novidades envolvendo a cadeia da carne, piscicultura e a de insumos. Diversas tecnologias serão apresentadas no período de 25 a 29 de abril, no estande localizado na E14a1 do mapa da feira, em Ribeirão Preto (SP), por três unidades de pesquisa, Embrapa Instrumentação (São Carlos, SP), Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP) e Embrapa Solos (Rio de Janeiro, RJ).

Os visitantes poderão ver demonstrações, ao vivo, de análises de carne por ressonância magnética nuclear (RMN), da qualidade da água de tanques de criação de peixes, e de solos, conhecer fertilizante de liberação controlada e biofertilizante, práticas agrícolas para criação de abelhas-sem-ferrão e bioinsumo para reduzir os efeitos da seca, entre outros resultados de pesquisas obtidos em laboratório e em campo.

Análise de carne por ressonância magnética nuclear

A Embrapa Instrumentação leva para a Agrishow resultados consolidados de pesquisas desenvolvidas em parceria com startups, que fazem parte do seu ecossistema de inovação, e já com impactos positivos no mercado nacional e internacional. Pelo menos, quatro das seis tecnologias que serão apresentadas contaram com a participação de agtechs, sediadas em São Carlos, cidade do interior paulista com forte vocação para o empreendedorismo.

O SpecFit é uma delas. A tecnologia realiza análise de carne por ressonância magnética nucelar (RMN) em segundos. Desenvolvido em parceria com a startup Fine Instrument Technology (FIT) para análise de produtos da agroindústria, o SpecFit fará análise de carne, ao vivo, na Agrishow, utilizando a RMN. A técnica foi reconhecida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e Association of Official Agricultural Chemists (AOAC) para avaliação do teor de lipídeos em carnes, produtos cárneos e pescados.

O equipamento, presente em mais de 20 países, nos quais está sendo utilizado para medir o teor de óleo de frutos de dendê, permite a geração de informações precisas na carne e em produtos processados e industrializados à base de proteína animal. Pesquisadores da Embrapa Instrumentação e da startup estarão no estande para fornecer outros detalhes.

Sonda Multiparâmetros Aqua Probe

Fundamental na criação de peixes, a qualidade da água pode ser a causa do sucesso ou fracasso do negócio. Para ajudar os piscicultores, a Embrapa Instrumentação e a startup Acqua Nativa desenvolveram a Sonda Multiparâmetros Acqua Probe, capaz de aferir em tempo real e de forma remota – por meio de celular, tablet ou computador – as propriedades da água de viveiros destinados ao cultivo de organismos aquáticos, como peixes e crustáceos.

Entre os 12 parâmetros que a tecnologia é capaz de monitorar estão níveis de pH, temperatura, oxigênio dissolvido, potencial de oxirredução, turbidez da água, além da clorofila-a e condutividade elétrica. O equipamento nacional, que custa um quarto do valor do importado, integra o Projeto BRS Acqua, liderado pela Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas, TO), que está sendo executado com o objetivo de fortalecer e ampliar a aquicultura.

A Plataforma IA AGLIBS é outra tecnologia que tem a assinatura de uma startup no desenvolvimento, a Agrorobótica. A tecnologia faz a mensuração, reporte, verificação e comercialização (MRVC) de carbono na agricultura e a digitalização da fertilidade e textura do solo, sendo a mesma tecnologia – hardware e software – utilizada pela Nasa em seus robôs para explorar os solos do Planeta Marte. O AGLIBS utiliza a espectroscopia de emissão óptica com plasma induzido por laser (LIBS) e está sendo empregada de forma pioneira no Brasil e no Mundo.

A plataforma IA AGLIBS auxilia os agricultores a resolver grandes problemas do Planeta Terra como mitigação das mudanças climáticas e segurança alimentar. A geração de valor para o agricultor que utiliza a tecnologia consiste em sustentabilidade, agregação de valor nas commodities carbono neutro; aumento da rentabilidade – redução de custos com corretivos e fertilizantes.

Nanocristais de celulose

Semelhantes a grãos de arroz ou agulhas, porém com espessura cerca de 200 mil vezes menor, os nanocristais extraídos de fontes renováveis e sustentáveis, conhecidos como green materials (materiais verdes), têm atraído a indústria do mundo todo. De olho nesse mercado, a startup BioNano e a Embrapa Instrumentação unem esforços na extração de nanocristais para aplicações diversas, que vão da confecção de papéis especiais a cosméticos. A produção já saiu da escala-piloto, quando se produzia apenas alguns gramas para cerca de 5 quilos diários, em experimentos realizados na empresa. Pequenas amostras de nanocristais extraídos de algodão, bem como em suspensão, também estarão no estande.

Insumos agrícolas

Biofertilizante para agricultura familiar – Gerado a partir do tratamento do esgoto doméstico pela Fossa Séptica Séptica Biodigestora, o adubo orgânico pode substituir a aplicação do nitrogênio sintético na adubação de pequenas lavouras e pode ser uma excelente alternativa para produtores que não têm acesso a nenhum tipo de fertilizante químico. Em experimentos com milho para silagem conduzidos por pesquisadores da Embrapa Instrumentação, o biofertilizante, acrescido de fósforo e potássio, demonstrou resultados de produções semelhantes de grãos, comparadas às áreas com nitrogênio, fósforo e potássio (NPK). Na feira, o produtor rural poderá conhecer o adubo orgânico e ver as diferenças entre plantas de milho adubadas com e sem o insumo.

Sachê biodegradável – Desenvolvido à base de produtos naturais entre a Embrapa Instrumentação e a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), o sachê de liberação controlada de agroquímicos, solúvel em água, consiste em um material selado por prensagem, que contém em seu interior o insumo desejado. O sachê é formado por uma mistura de materiais poliméricos com elevada biodegradabilidade, ao ser inserido no solo, libera o conteúdo de forma gradual, conforme vai se decompondo. Entre as vantagens da inovação estão a diminuição da quantidade de insumos para a mesma atividade agrícola, além de prevenir danos à saúde do produtor rural, porque o agroquímico é inserido no interior do sachê.

Boas Práticas agrícolas

Boas Práticas para Instalação e Manejo de Colônias de Abelhas sem Ferrão – A Embrapa Meio Ambiente investe no desenvolvimento de tecnologias para criação e uso sustentável das abelhas-sem-ferrão. Seu objetivo é gerar renda a partir da biodiversidade brasileira de abelhas e aumentar a produtividade dos cultivos dependentes delas para polinização. A produção de mel e polinização de diversas espécies de culturas é uma grande contribuição das abelhas nativas sem ferrão para a agricultura brasileira. A Kombi da A.B.E.L.HA. (Associação Brasileira de Estudos das Abelhas) com a qual a Embrapa Meio Ambiente mantém parceria no desenvolvimento de tecnologias para criação e uso sustentável das abelhas sem ferrão, estará na feira com abelhas nativas para mostrar os benefícios delas para a sociedade.

Produção Integrada de Morango – A Produção Integrada de Morango (PIMo) permite ao agricultor utilizar cerca de dez vezes menos defensivos químicos, aumenta a produtividade por planta e ainda gera um fruto mais valorizado pelo mercado consumidor. Esse sistema de produção segue o princípio das boas práticas agrícolas e observa regras estabelecidas pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), que coordena nacionalmente o Programa de Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil), enquanto a Embrapa Meio Ambiente coordena o Programa Produção Integrada de Morango, iniciado em 2006. A Staw Agricultura é uma das propriedades que utiliza a PIMo e possui o Selo Brasil Certificado desde 2019, o primeiro morango do estado do Paraná a receber esse selo pela adoção da produção integrada. A Staw também recebeu o Certificado de Conformidade Orgânica para produção de morango in natura, morango congelado e morango liofilizado, pela Ecocert Brasil Certificado.

Mitigação da Seca por Bactérias Benéficas – O Auras é um bioinsumo produzido a partir da rizobactéria Bacillus aryabhattai, extraída das raízes do mandacaru (Cereus jamacaru), para ser aplicado em lavouras, principalmente milho para aumentar a resiliência e a capacidade de adaptação das plantas ao estresse hídrico, promovendo o crescimento da cultura mesmo em condições de seca. A solução da Embrapa Meio Ambiente, em parceria com a NOOA Ciência e Tecnologia Agrícola, é resultado de mais de 12 anos de pesquisa. O AURAS® além de propiciar maior segurança no ambiente de produção, promove também maior estabilidade no ambiente biológico e otimiza o uso da água pela planta. O bioinsumo é capaz de reduzir os efeitos causados pelas estiagens prolongadas, minimizando riscos e expressando o verdadeiro potencial das lavouras. Na Agrishow informações sobre o correto uso do Auras serão repassadas pelos técnicos da Embrapa e da NOOA e o produto industrializado será demonstrado pela empresa. Mais informações em: https://www.embrapa.br/meio-ambiente/busca-de-noticias/-/noticia/60941801/bacteria-encontrada-no-mandacaru-vira-bioproduto-que-promove-tolerancia-a-seca-em-plantas?p_auth=IRGYeIFP

Corredor de Inovação e Caravana Fert Brasil

Além das tecnologias no estande, a Embrapa vai participar da Agrishow com outras ações.

No dia 25, às 15 horas, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), em conjunto com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Embrapa e Sebrae-SP, vão celebrar a parceria para implantação do Corredor de Inovação Agropecuária do Estado de São Paulo, que visa integrar os polos de desenvolvimento das regiões de Jaguariúna, Campinas, Piracicaba, São Carlos e Ribeirão Preto.

Estudo coordenado pelo Mapa e a Embrapa Agricultura Digital para apoiar o projeto aponta que o Corredor tem potencial para se posicionar entre os cinco maiores em agricultura e o primeiro em agricultura tropical no mundo.

Além do lançamento do Corredor de Inovação, haverá ainda um workshop, a partir das 16h, para discutir ações estratégicas para consolidação da iniciativa. O evento será realizado no Espaço Gastronomia, estande da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, na Agrishow.

No dia 26, às 16 horas, na Arena do Conhecimento, o pesquisador da Embrapa Solos, José Carlos Polidoro, fará uma palestra sobre a “Caravana Embrapa Fert Brasil”. Ele vai apresentar detalhes sobre o cronograma e as regiões que serão visitadas, além de aspectos que serão abordados pelos pesquisadores junto aos produtores rurais.

Representantes da Embrapa Agroenergia (Brasília, DF), Embrapa Territorial (Campinas, SP), Embrapa Acre (Rio Branco, AC), Embrapa Pecuária Sudeste (São Carlos, SP) e equipe de Relações Institucionais e Governamentais da Embrapa (Brasília – DF) aproveitam as diversas oportunidades que a feira oferece para fazer prospecções e realizar articulações com stakeholders.

(Informações da Embrapa)