De acordo com um relatório da ONU (Organização das Nações Unidas) a população mundial deve chegar a 9,7 bilhões de pessoas em 2050. Estamos falando de um crescimento de 2 bilhões de pessoas em menos de 30 anos! Será possível atender a demanda de alimentos para tanta gente? Cada vez mais as agtechs estão buscando maneiras sustentáveis e altamente tecnológicas para solucionar esse e outros problemas enfrentados pelo agronegócio. Mas a Pink Farms, maior fazenda vertical urbana da América Latina, parece já ter encontrado a solução.

Fundada em 2017 pelos engenheiros Geraldo Maia, Rafael Delalibera e Mateus Delalibera, a Pink Farms sempre teve o objetivo de ser uma empresa que lidasse com prazer e propósito. E parece que eles atingiram o objetivo. A empresa atualmente produz 3 toneladas de alimentos todos os meses de maneira sustentável e tecnológica!

“Temos alguns diferenciais. Do ponto de vista ambiental, nós economizamos 95% de água (se comparado com o campo), não precisamos utilizar novas terras para escalar (somos 170x mais produtos, se comparados com o campo) e zeramos o desperdício (colhemos só o que vendemos)”, disse Raphael Pugliesi, diretor de marketing na Pink Farms.

Quem gosta de comer bem, estará muito bem servido! De acordo com a empresa, a série de testes de luz, clima, nutrientes e controle de umidade que fazem com todas as espécies permitem que eles influenciam na cor, crocância e sabor dos produtos. “O resultado é um alimento perfeito, sem agrotóxicos, sem marcas de insetos ou mesmo sem nenhum dano nas folhas devido à logística”, contou Pugliesi.

Tecnologia de ponta

Para que seja possível obter alimentos frescos colhidos até 24h antes da entrega, com muito mais tempo de validade, a empresa, localizada na zona oeste de São Paulo, conta torres de 10 andares, sala de germinação, sala de processamento, uma câmara fria e uma série de tecnologias inovadoras.

Outra coisa que chama a atenção é a luz rosa. “Ela é gerada graças à composição entre a luz azul e a vermelha que predomina no ambiente interno da nossa fazenda hi-tech. Usamos esses dois comprimentos de onda pois são os mais eficientes na ativação da clorofila para a realização de fotossíntese”, contou. Segundo ele, o LED permite o cultivo em níveis verticais, ampliando a produtividade.

“Os painéis de LED são de desenvolvimento e fabricação própria e foram construídos a partir de muitos estudos e testes para encontrar a proporção e intensidades ideais para as plantas”, contou. Segundo os profissionais, o azul e o vermelho são as cores que as plantas mais absorvem durante seu ciclo de vida.

Por lá, tudo é monitorado e controlado por sensores e por um sistema de automação que mede temperatura, umidade, CO2, O2 e controlam automaticamente a iluminação, fotoperíodo e o sistema hidráulico. A Pink Farm faz também a captação da água que o sistema de refrigeração retira do ambiente. Assim, é possível utilizar essa água novamente como forma de reduzir o custo.

O sistema de irrigação utilizado é o hidropônico do tipo floating — quando as plantas ficam suspensas em placas sob caixas com a solução nutritiva circulando a todo momento. Assim, recebem os nutrientes necessários para seu crescimento, não necessitando do uso da terra.

Clube de assinatura

A Pink Farm conta com um exclusivo clube de assinatura, o Clube Pink. Quem assina, paga um valor mensal e escolhe o que quer receber e quantas vezes por mês. “Estamos repaginando o nosso clube, com o lançamento de um novo site”, disse. Ele ainda dá um alerta de spoiler! “Nesse novo modelo, teremos duas opções de plano: Pink Flex, para quem gosta de variar nos produtos sempre, e Pink Routine, pra quem já sabe o que sempre vai querer. Então, o cliente escolhe a partir de 3 unidades de produtos do nosso catálogo e define a frequência que pretende receber. A soma desses fatores garante descontos de até 25% no carrinho, além da comodidade de ter sempre uma saladinha fresca em casa. Como esse tipo de alimento costuma estragar com mais facilidade, as pessoas gastam muito tempo mantendo a geladeira abastecida. Mas, o clube Pink chegou”, revelou.

Produção sem desperdício

Na Pink Farm não existe desperdício, pois a empresa não estoca alimentos. Para reduzir desperdícios, eles colhem apenas o que vendem. Por isso, também, apenas as regiões que conseguem receber os produtos em até 24h são atendidas pela empresa. “Por enquanto, só atendemos o centro expandido de São Paulo, mas a ideia é criar fazendas por vários lugares do país”, finalizou.

Conheça mais sobre a Pink Farm assistindo ao vídeo a seguir:

https://www.youtube.com/watch?v=yhLAqNqPX7I