Importante recurso para o agronegócio, a irrigação é uma das mais recentes tecnologias incorporadas ao Plano ABC+, que tem por objetivo diminuir a emissão de carbono no agro. De acordo com Jordana Girardello, assessora técnica da Comissão Nacional de Irrigação da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a inclusão é importantíssima para levar a agricultura irrigada a outro patamar.

“O grande ganho que a irrigação tem dentro do Plano ABC é o reconhecimento dela como uma importante tecnologia para poupar água e para a mitigação de gases do efeito estufa. Isso coloca a gente no hall de atividades de sustentabilidade”, disse Girardello durante uma entrevista ao programa Direto ao Ponto, da Jovem Pan, deste domingo (28).

Outra vantagem dessa inclusão, é que os produtores que se interessarem por essa tecnologia poderão usufruir de mais uma linha de financiamento. Isso porque ao ser introduzida como tecnologia para a agropecuária de baixo carbono, a atividade se enquadra no Plano Safra.

“Terá recurso para irrigação dentro do ABC, mas será um recurso menor do que as outras linhas que a gente já tem para irrigação”, falou a assessora técnica.

Plano ABC+

Jordana comentou, durante a entrevista, que o Brasil levou à COP26 os resultados desses anos iniciais do plano e demonstrou aos demais países um planejamento estruturado para uma agropecuária de baixo carbono. “O saldo final do Brasil no primeiro plano ABC foi de 115% de atingimento das metas. Essas primeiras metas foram voluntárias. O plano ABC é um plano sólido, consolidado, principalmente com esses resultados que a gente teve na primeira etapa”, contou.

Para encerrar, ela classificou como ousados os novos objetivos do programa. A nova fase, chamada de ABC+ foi lançada recentemente pelo Governo Federal e a meta é reduzir a emissão de 1,1 bilhão de toneladas de dióxido de C02 equivalente até 2030.

(Com informações Canal Rural)