A Frísia Cooperativa Agroindustrial foi destaque na Forbes, uma das mais prestigiadas revistas de negócios do mundo. A matéria, intitulada “Frísia vai investir R$ 1 bilhão com cartilha ESG na mão”, retrata o investimento bilionário, que faz parte do projeto “Rumo aos 100 anos”, data a ser comemorada em 2025.

Fundada em 1925, a Frísia é a cooperativa de produção mais antiga do Paraná e figura entre as maiores cooperativas do Brasil. Um de seus objetivos principais é ser referência no setor, agregando valor à produção de 900 cooperados que são produtores de grãos, bovinos de leite e suínos.

Na entrevista à Forbes Renato Greidanus, cooperado desde 1978 e atual diretor-presidente da Frísia falou sobre as decisões estratégicas acerca do investimento. “Estamos trabalhando, principalmente junto ao governo do Estado e municípios, estudando os incentivos que eles possam eventualmente nos fornecer para instalarmos esses investimentos”, disse.

O valor de R$ 1 bilhão será distribuído nas três frentes de atuação da Frísia: grãos, carnes e lácteos e setores de apoio, como fábrica de ração, armazenagem, indústria de processamento, logística e serviços que vão de lojas agropecuárias a postos de combustível.

Assim como exemplifica matéria publicada na Forbes, para uma cooperativa que opera em nome de um grupo, decisões estratégicas são o resultado de um longo processo de discussões internas e de um planejamento que é, antes de tudo, comunitário. Assim sendo, o diretor-presidente da cooperativa revelou que o motor que vai girar a saída de dinheiro do bolso dos produtores têm ação baseada no tripé do movimento ESG (na tradução do inglês, ambiental, social e governança).

“A profissionalização, a gestão das propriedades olhando para elas como sucessão e ao mesmo tempo olhar quais são as possibilidades de desenvolver uma atividade sustentável economicamente, socialmente e ambientalmente, é um tripé que tem de estar muito equilibrado com os nossos produtores. Mas isso serve para qualquer atividade”, disse Greidanus À Forbes.

Quer ler a matéria completa? Clique aqui para ser redirecionado.