Após 13 anos de pesquisas, a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) lançou recentemente uma tecnologia que promete revolucionar o plantio de milho. Trata-se do Sistema Antecipe, que permite ao agricultor fazer a semeadura da cultura do milho mecanicamente nas entrelinhas da soja, antes mesmo da colheita. 

De acordo com Décio Karam, pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo, em um artigo publicado no site da empresa, o Sistema Antecipe é uma semeadora-adubadora para trabalhar um novo modelo de cultivo sem provocar danos às plantas de soja. “Isso garante que as produtividades das duas culturas não sejam comprometidas por competição, pelo corte durante a colheita e nem pelo amassamento das plantas de milho provocado por pneus de colhedora durante a colheita da soja, o que também não prejudicaria a produtividade da cultura do milho”, informou ele no artigo. 

Ainda segundo o pesquisador da Embrapa, a tecnologia foi desenvolvida de uma forma que não vai dificultar o trabalho na fazenda. Pelo contrário, se o produtor optar pela utilização do Sistema Antecipe em parte da área, por exemplo, não será necessário fazer ajuste nos espaçamentos das entrelinhas. A semeadora-adubadora foi desenvolvida especialmente para trabalhar nos espaçamentos de qualquer semeadora que existe no mercado. 

Porém, é importante que o produtor saiba que o Sistema Antecipe não foi criado para substituir a forma tradicional do cultivo do milho safrinha. “O Antecipe é uma tecnologia que tem o objetivo de reduzir o risco naquelas áreas da propriedade em que a semeadura tem sido realizada ao final da janela preconizada para cada região, definida pelo Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) publicado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento”, afirma Karam em seu artigo. Por conta disso, o planejamento da cultura da soja é fundamental para que exista sucesso no uso do Antecipe. 

É importante também ressaltar que a semeadura do milho nas entrelinhas da soja ocorre da mesma forma que já acontecia antes da criação do Sistema Antecipe. O que muda é apenas o fato de que ela é feita nas entrelinhas da soja. No momento da semeadura do milho é preciso, porém, levar em conta o espaçamento das entrelinhas da soja, pois é necessário fazer um ajuste no trator, para que não haja danos à soja. 

O momento da colheita, após o milho ser implantado e as plantas começarem a se desenvolver, é também realizado normalmente. “Essa operação corta as plantas de milho, mas como o ponto de crescimento dessa planta ainda está abaixo do solo, o crescimento e o desenvolvimento não são comprometidos, levando o milho a produzir melhor do que aquele semeado tardiamente, ou seja, fora do período recomendado pelo Zarc”, afirma o pesquisador, que ainda indica que a adubação nitrogenada de cobertura no milho deve ser realizada o quanto antes, considerando as recomendações já consolidadas pela pesquisa. 

E para a utilização do Sistema Antecipe, a Embrapa disponibiliza um aplicativo para celulares e tablets que irá auxiliar o agricultor com orientações sobre a tomada de decisões e o momento certo para se iniciar o planejamento da semeadura do milho. Além disso, o aplicativo ainda pode armazenar informações importantes sobre os tratos culturais das culturas da soja e do milho com o histórico das áreas de produção. 

Você já conhecia o Sistema Antecipe? Conte para gente nos comentários o que achou dessa novidade. E não se esqueça de conferir os demais conteúdos especiais que preparamos para você aqui na Digital Agro News


(Com informações da Embrapa)