O Brasil esta consumindo cada vez mais energia solar. Dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica mostram que entre janeiro e julho deste ano houve um aumento de 30% de gigawatts instalados em relação ao segundo semestre do último ano.

A expectativa, segundo o órgão, é que este ano o país apresente o maior crescimento do mercado e de geração de empregos no setor em uma década. “A projeção que temos é que vamos terminar o ano com quase o dobro do que a gente tinha de geração própria instalada em nosso país. E quem vai ganhar com isso é a sociedade – tanto em atração de investimentos, quanto nos mais de 350 mil empregos que o setor deverá gerar para o Brasil somente em 2022”, disse a vice-presidente da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica, Bárbara Rubim.

Imagem de Ulrike Leone por Pixabay

De acordo com associação, esse crescimento se deve a três fatores fundamentais: o preço da energia elétrica, a maior oferta de financiamento para comprar o sistema de geração de energia solar e o custo-benefício, já que em cerca de cinco anos, é possível recuperar o dinheiro investido.

Em entrevista ao G1, o técnico em edificações Flávio Lemos disse que já chegou a pagar R$ 500 de conta de luz. Hoje, com o sistema de energia solar instalado, paga apenas a taxa mínima exigida pela companhia elétrica – pouco mais de R$ 60. “É o suficiente para atender o chuveiro elétrico, toda a iluminação da casa e garagem. Outra coisa é que passamos a usar mais essas fritadeiras elétricas. É muito tranquilo”, revelou.

Ainda segundo especialistas no setor, além de ser econômico, o sistema de energia solar também ajuda a valorizar o imóvel onde a instalação foi feita.

(Informações G1)