O leite chamou atenção de todos e gerou até mesmo memes nas redes sociais na última semana. O motivo disso é a forte alta dos preços nos supermercados. Segundo dados o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), medido pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) o produto teve subiu 4,65% somente em maio. Mas, porque isso acontece?

Segundo especialistas, um dos motivos para isso é a falta de leite. Houve queda de 10,3% na captação de leite nacional nos primeiros três meses do ano. Essa é a maior queda da série histórica, iniciada em 1997. “Outro fator é o período que estamos atravessando, que é o auge da entressafra. Junho é o mês de menor produção no Brasil e obviamente é mais um fator para que haja uma pressão altista nas cotações”, explicou ao Globo Rural, o pesquisador do Centro de Inteligência do Leite da Embrapa Gado de Leite (Cileite), Glauco Rodrigues Carvalho.

De acordo com o profissional, uma das causas dessa crise foi a Covid-19. Segundo ele, indústria e produtor perderam rentabilidade no período. “Então a cadeia inteira perdeu margem em 2021, foi um período muito ruim e abrimos 2022 com muito pouco leite no mercado justamente porque alguns deixaram a atividade, outros abateram seus animais e outros de fato reduziram a produção”, disse.

Em Santa Catarina, por exemplo, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Faesc) estima que 9 mil produtores tenham abandonado a atividade durante a pandemia.

A retomada da atividade econômica após o avanço da vacinação contra a Covid-19 no país também colaborou para a alta dos preços. “O pessoal está sentindo, sim, uma melhora no consumo de lácteos no país, ainda que singela, e a expectativa e de que continue melhorando. Então, mesmo com essa alta de preços no atacado e no varejo, o escoamento não está piorando – muito pelo contrário, ele foi melhorado nesse último mês”, contou a analista da Scot Consultoria, Jéssica Olivier.

E o que já estava ruim, pode sim piorar. A perspectiva do mercado é de que existam novas altas nos preços devido à pouca oferta e demanda dando sinais de recuperação. “A gente ainda está no período seco a captação deve continuar piorando e a expectativa é de aumento de preços tanto ao consumidor quanto no mercado spot, entre as indústrias”, explicou Jéssica.

(Com informações de Globo Rural)