Um projeto curioso, desenvolvido pela Nova Zelândia, está chamando atenção de muita gente. Para combater o aquecimento global eles pretendem taxar o arroto de gado e ovelhas. Se aprovado, o país será o primeiro do mundo a cobrar os agricultores pela emissões de metano dos animais.

Praticamente metade das emissões dos gases de efeito estufa da Nova Zelândia vem da agricultura. O país, que abriga mais de cinco milhões de pessoas, possui cerca de 10 milhões de bovinos e 26 milhões de ovelhas.

“Não há dúvida de que precisamos reduzir a quantidade de metano que estamos colocando na atmosfera, e um sistema eficaz de precificação de emissões para a agricultura desempenhará um papel fundamental em como conseguiremos isso”, disse o ministro de mudanças climáticas da Nova Zelândia, James Shaw.

O projeto propõe que os agricultores comecem a pagar pelas emissões de metano a partir de 2025. O plantio de árvores na fazenda poderá ser usado para compensar. Além da taxação, o plano inclui incentivos para aqueles que conseguirem reduzir essas emissões.

Em entrevista à BBC, o produtor de leite e presidente nacional da Federação de Agricultores da Nova Zelândia, Andrew Hoggard, disse que aprova as propostas. “Estamos trabalhando com o governo e outras organizações nisso há anos para chegar a um plano que não prejudique a agricultura na Nova Zelândia”, falou.

Os detalhes da implementação do plano ainda não foram acordados, mas já se sabe que o dinheiro arrecadado com essa taxação será investido em pesquisa, desenvolvimento e serviços de consultoria para agricultores.

(Com informações G1)