A Argentina inovou e é o primeiro país a lançar o financiamento da safra de soja, milho e trigo através de empréstimos garantidos com criptoativos. A Agrotoken fechou parceria com o Santander e lançaram essa modalidade que garante um sistema mais transparente, seguro, descentralizado e auditável, através de uma moderna infraestrutura de segurança.

Segundo os desenvolvedores, para cada token há uma tonelada de grãos que o produtor vendeu e entregou a uma empresa de comércio de grãos e produção agrícola. Todas as toneladas são validadas através de um sistema PoGR – sigla em inglês para Proof of Grain Reserve.

Os produtores podem utilizar seus agrotokens para realizar diferentes operações, observando os três índices de preços definidos em conjunto com o Grupo Matba Rofex (mercado onde são negociados futuros e opções financeiras e agrícolas). Eles refletem o valor dos grãos em tempo real.

Segundo o CEO e cofundador da Agroten, Eduardo Novillo Astrada, estão sendo criados, em conjunto com o Santander, diversos produtos financeiros para facilitar a vida dos produtores agrícolas.

“No Santander Argentina contamos com tecnologia e inovação para gerar novas soluções de negócios que facilitem a vida e ampliem as oportunidades dos produtores agrícolas. Esta é a primeira vez que uma plataforma de serviços financeiros que utiliza a tecnologia blockchain e criptoativos para expandir o mercado de crédito agrícola e liberar o potencial de negócios do produtor”, disse Fernando Bautista, Head de Agronegócios do Santander Argentina.

O banco anunciou que “aposta na tecnologia”. Por isso, investirá nesta área 225 milhões de dólares na Argentina. Esta é a primeira vez que uma plataforma global de serviços financeiros vincula tokens de produtos agrícolas a produtos financeiros, utilizando tecnologia blockchain para gerar novos negócios e tornar o processo mais eficiente.

(Com informações Agrolink)