A Dinamarca tem o primeiro robô queijeiro do mundo! A invenção curiosa ajuda o produtor a economizar tempo e dinheiro e ainda colabora com uma produção mais sustentável. A tecnologia foi desenvolvida pela fábrica de laticínios Arla, em parceria com com o Ministério Dinamarquês do Meio Ambiente e com a Fundação Dinamarquesa de Pesquisa em Laticínios.

Segundo os desenvolvedores, o robô lança luz infravermelha nos queijos, através de dois tubos finos de metal que são inseridos diretamente na coalhada macia. Essa luz emite comprimentos de onda que são armazenados como dados sobre o queijo em um computador.

“Analisar a luz nos permite mapear as impressões digitais químicas de um queijo – incluindo seu teor de gordura, proteína e carboidratos, entre outras coisas. Ao fazer isso, sempre podemos ver se os queijos atendem aos padrões de qualidade dos laticínios em relação à segurança, textura e sabor”, explicou Klavs Martin Sørensen, professor associado do Departamento de Ciência dos Alimentos da Universidade de Copenhague.

Robô queijeiro é desenvolvido na Dinamarca. Imagem: reprodução

Segundo informações do site Milk Point, o robô queijeiromonitora cada queijo em um estágio muito inicial do processo. “Ele pode notificar um laticínio em segundos se algo estiver errado e como, por exemplo, o laticínio deve ajustar a receita de um queijo para que ele seja aperfeiçoado. Nunca conseguimos monitorar isso antes. Portanto, o robô é o primeiro desse tipo e apresenta uma maneira completamente nova de trabalhar com a produção digital de alimentos”, explicou Sørensen.

O robô queijeiro ainda é capaz de recuperar continuamente informações sobre a condição e a qualidade de seus queijos, o que pode economizar tempo e dinheiro. “As empresas de laticínios estão empolgadas com o robô porque ele fornece um parceiro que pode ajudá-las a eliminar erros no início, em vez de no final do processo, como é o caso agora. Eles também estão felizes com a quantidade de dados coletados pelo robô, tudo isso pode ser usado para melhorar a produção de queijo. O robô nunca pode substituir os trabalhadores de laticínios, mas será uma ferramenta indispensável para eles”, falou.

O robô queijeiro garante a sustentabilidade do processo

Além de garantir a qualidade e gerar grande economia, o robô queijeiro pode ser usado também para investigar vários métodos de produção sustentáveis, inclusive para outros alimentos, como carnes, frutas ou pão. “Em breve começaremos a testar se menos água pode ser usada ou se é possível reciclar parte da água de queijos anteriores em produção. Aqui, o robô pode nos ajudar a determinar quanta água podemos economizar sem comprometer a qualidade e o sabor”, contou o professor.

O robô queijeiro, por enquanto, só foi testado em Taulov Mejeri por três meses. Klavs Martin Sørensen, no entanto, aposta que sua invenção estará pronta para ser lançado em várias laticínios em cerca de um ano, observando que as consultas de empresas interessadas já começaram.

(Com informações Milk Point)