Uma startup brasileira acaba fazer parceria com a Ambev para criar o que estão chamando de “lúpulo hightech 100% brasileiro”. A agtech Silver Hops, agtech pretende criar um projeto inovador, levando sua expertise ao centro de inovações da maior fabricante de cervejas do país.

A Silver Hops trabalha com o desenvolvimento de soluções de alta tecnologia para o cultivo de lúpulo e colabora para o desenvolvimento da produção interna dele. A startup está localizada na Fazenda Pratinha, em Ribeirão Preto (SP) e tem cerca de 1,5 hectare destinado ao cultivo de nove variedades de lúpulo em caráter experimental e mais 3,5 hectares reservados para uma expansão futura.

O trabalho por lá é focado em inovações tecnológicas da produção. Entre as etapas de desenvolvimento, estão sendo feitos testes diversos com adaptações ao solo, clima e condições naturais do local. Trata-se de um laboratório de inovações a céu aberto.

O local conta com processos automatizados de irrigação, monitoramento por drones programados e com capacidade de captação de imagens em espectroscopia, fertirrigação de precisão e iluminação especial que são comandadas por aplicativos. Existe também uma unidade beneficiadora, que peletiza o lúpulo, deixando-o pronto para comercialização.

Além de inovadora, essa iniciativa ainda colabora com a agricultura familiar, pois torna-se uma opção de renda aos pequenos produtores. A expectativa é que, com a união destas duas frentes, sejam criadas novas possibilidades para o lúpulo nacional em outros estados.

“Não temos a pretensão de trazer autossuficiência em lúpulo para o Brasil por enquanto, mas mostrar que é possível o cultivo com qualidade, tecnologia de ponta e responsabilidade social junto às famílias produtoras”, explica o gestor da iniciativa e consultor de projetos especiais da Ambev, Felipe Sommer.

“Nosso papel será complementar o trabalho que já está sendo feito com a agricultura familiar através do olhar da pesquisa e da inovação. Com estas duas frentes, poderemos gerar transformações importantes na cadeia de produção cervejeira e, por que não, no agronegócio responsável brasileiro”, disse José Virgílio Braghetto Neto, responsável pela Silver Hops e integrante do ecossistema de inovação da Ambev, através do BHL (Bev Hack Lab).

De acordo com os integrantes do projeto, o próximo passo é a regulamentação da produção de lúpulo no Brasil. O foco é desenvolver a primeira fábrica de lúpulo brasileira com apoio da Fazenda Pratinha, produtores e universidades.

“Teremos um caminho parecido com o que a uva percorreu, a soja irrompeu há mais de 30 anos. Sabemos que o agro é o grande motor brasileiro”, diz, afirmando que, apesar de o alcance da produção nacional de lúpulo ainda ser pequeno, existe um potencial enorme.

(Com informações de Ag Evolution)