O energia solar é uma fonte renovável e inesgotável de energia. Ela representa 2,4% da de toda a energia gerada no Brasil, segundo um relatório de dezembro da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSolar). Em fevereiro o total era de apenas 1,7%, o que significa um aumento de quase 50%.

De acordo com especialistas, o cenário é considerado promissor tendo em vista os constantes aumentos na energia elétrica e possibilidade de instalar sistemas off-grid, aqueles que não dependem de energia elétrica e que podem servir para regiões mais remotas.

Desde 2012, quando os primeiros sistemas fotovoltaicos foram instalados no país, já foram investidos R$ 62,2 bilhões pelo setor privado. Isso representou 356 mil empregos gerados e quase 14 milhões de toneladas de CO² que deixaram de ser emitidos graças a esse tipo de geração de energia.

Em relação à potência instalada, enquanto em fevereiro era de 7,7 GW (considerando geração centralizada e distribuída), em dezembro já passou de 12 GW. No caso da geração distribuída, o setor residencial representa 76,3% do total de 678.061 sistemas instalados. Comércios e serviços vem na segunda posição, com 34,9% e o segmento rural já é o terceiro que mais usa energia solar, respondendo por 13,6% do total de instalações.

Por regiões, Minas Gerais lidera com 18% do total, seguido de São Paulo (12,9%), Rio Grande do Sul (12,4%), Mato Grosso (7,5%) e Goiás (5,3%). A cidade brasileira que mais tem fontes solares é Cuiabá (MT), que responde por 1,3% da potência instalada ou 95,6 MW.

(Com informações Agrolink)