Desde que começou a ser implementado, o programa Paraná Trifásico entregou 4.537 quilômetros de novas redes de energia elétrica, construídas por todo o Estado. As obras concluídas já beneficiam 207 municípios paranaenses, que receberam a nova rede, trifaseada e com redundância no atendimento, com interligações no sistema de distribuição. 

A extensão do cabeamento instalado equivale a seis vezes a distância entre as cidades de Foz do Iguaçu e Paranaguá. O Paraná Trifásico vai construir 25 mil quilômetros de redes trifásicas até 2025. Até o fim de 2021, serão concluídos 6,5 mil quilômetros. O investimento já ultrapassa R$ 403 milhões, do total de R$ 2,1 bilhões previstos até 2025. As obras da nova rede trifásica estão gerando cerca de mil empregos diretos e indiretos em todo o Paraná. 

PROGRAMA  Toda a espinha dorsal da rede de distribuição no campo está sendo trifaseada, substituindo a tecnologia monofásica existente. Além de garantir energia de mais qualidade e com maior segurança, o programa proporciona o acesso do produtor rural à rede trifásica a um custo muito inferior ao que hoje é pago.  

Os novos cabos com capa protetora isolante têm nível de resistência reforçada quando atingidos por galhos de árvores ou outros objetos. O programa também retira os postes antigos do meio das plantações e coloca postes novos nas estradas rurais, o que facilita o acesso dos técnicos. 

As linhas que estão sendo construídas têm conexões inteligentes com a central de monitoramento da rede, chamados de religadores automáticos. Esses equipamentos têm capacidade para identificar problemas e podem religar a energia sem precisar de interferência humana.  

Culturas que dependem da energia elétrica intensiva para a sua produção terão grande benefício, entre elas leite e derivados, suinocultura, avicultura, piscicultura e fumo, por exemplo, além de atividades como os poços artesianos. O Paraná é líder nacional em algumas delas, como avicultura e piscicultura. 

PRODUTORES – No Centro-Sul do Paraná, as obras incluem a interligação de 11 km na região da Colônia Witmarsum, em Palmeira. A localidade é referência na produção de leite de alta qualidade no Estado e, com a obra, os produtores terão uma fonte alternativa de fornecimento de energia. Ao todo, 500 unidades consumidoras serão diretamente beneficiadas.  

No município de Tibagi, as obras estão trazendo benefícios para o setor agrícola e para o turismo. O trifaseamento de 10 km de cabos na região do Cânion do Guartelá, um dos principais pontos turísticos do Estado, ajuda a fortalecer a rede e melhora a qualidade do fornecimento de energia da região. A obra beneficia 1.000 unidades consumidoras de Tibagi e Piraí do Sul – em grande parte produtores rurais e empreendedores do setor de turismo. 

Na região Sudoeste, uma interligação entre alimentadores (espinha dorsal da rede, que abastece regiões inteiras), reforçou a rede que atende os municípios de Renascença e Vitorino. A região apresenta uma produção agropecuária diversificada, com produção de leite, grãos e frangos. A obra beneficia 1.124 unidades consumidoras dos dois municípios. 

A Copel é presença confirmada na Digital Agro 2021, que entra em seu último dia nesta quinta-feira (15).