Um grupo de pesquisadores da Pontifícia Universidade Católica do Rio (PUC-Rio) desenvolveu um robô no mínimo, inovador. Ele é capaz de mapear a germinação e o crescimento de plantas e ainda identificar pragas em plantações de soja e algodão. O robô agrícola foi desenvolvido por professores do Departamento de Engenharia Elétrica do Centro Técnico Científico da PUC-Rio em parceria com a Agtech Solinftec e com a Embrapa.  

Produzido utilizando a inteligência artificial, o protótipo é capaz de distinguir o que é germinação efetiva do que é erva daninha. Além disso, ele ainda se movimenta sozinho entre as fileiras, não necessitando de um profissional para conduzi-lo.  

Para que tudo funcione bem, o robô recebe informações visuais e geográficas do terreno. Então, é a partir daí que ele calcula a movimentação, utilizando um GPS. Utilizando a câmera ele diferencia soja ou algodão das demais vegetações, além de apontar as infestações. 

A equipe que desenvolveu o robô agrícola é formada por três alunos de doutorado, cinco alunos de mestrado, dois da graduação e conta com a coordenação dos professores Karla Figueiredo, Marley Vellasco e Wouter Caarls, além do Prof. Antonio Leite, ex-DEE e atualmente professor na Noruega. 

A Embrapa, parceira deste projeto, foi responsável pela plantação de quatro áreas para realização agrícola dos testes. Essa tecnologia inovadora pode contribuir muito com o produtor rural, já que ela acaba tornando o uso de defensivos agrícolas bem mais assertivo e econômico. 

E aí, o que achou deste conteúdo? A cada dia aparecem mais tecnologias que visam tornar o trabalho no campo mais prático, ágil e produtivo. Por isso é importante sempre estar por dentro de todas as novidades com o Digital Agro News.