fbpx
Escolha uma Página

A importância de um projeto de construção e execução de compost barn

por | 1 set 2020 | Gestão

Sistema relativamente recente em todo o mundo, o compost barn (CB), surgiu como uma alternativa aos sistemas convencionais utilizados na pecuária leiteira. O sistema CB vem ganhando adeptos nas diferentes partes pelo mundo, havendo relatos da sua implantação em vários países.

No Brasil, o interesse pelo sistema começou no ano de 2012 e, atualmente, já se tem registros da construção de galpões CB em diversas regiões. Diante disso, tem sido observado que, nos últimos anos, houve um aumento no interesse de construção desse tipo de instalação.

Visando maior conforto, diminuição de patologias, aumento na produção de leite e, consequentemente, incremento nos lucros, produtores têm investido em galpões CB para alojamento do seu rebanho.

Construir o galpão CB adequado para a criação de vacas leiteiras pode ser um sonho para alguns produtores. No entanto, quando alguns pontos não são considerados, a construção pode se tornar um verdadeiro pesadelo, com problemas que podem durar anos e comprometer até mesmo a segurança dos animais.

Existem muitos erros que são bem comuns na construção dos galpões CB, seja por falta de conhecimento técnico na elaboração do projeto, seja por desatenção de quem está executando, ou seja, pela qualidade dos materiais utilizados na construção.

Os galpões CB são basicamente constituídos por uma cobertura em telha metálica, treliças e pilares (que podem ser de concreto, madeira ou metálicas), muretas em alvenaria e fundação em sapatas isoladas. O fato de inúmeros destes galpões apresentarem problemas estruturais a ponto de entrarem em colapso, deve ser criteriosamente estudado, pois traz um grande prejuízo ao produtor.

É notório o grande desenvolvimento da engenharia estrutural, assim, acredita-se haver falhas em projetos de instalações para bovinos leiteiros. Ao se projetar uma estrutura deve-se levantar algumas variáveis que são essenciais para a segurança e vida útil da construção. Entre elas destacam-se o tipo de material utilizado (madeira, aço ou concreto), o tipo de solo onde a construção será instalada, a que se destina a estrutura, entre outras.

Existem diversas normas de cálculo e segurança de estruturas de madeira, aço ou concreto e também uma variedade de programas computacionais para cálculos desses tipos de estruturas. Portanto, conforme tem sido observado ultimamente, o colapso de galpões CB frequente não é normal.

Elaboração de projetos de galpões

Dentre as normas que devem ser utilizadas para a elaboração do projeto, podemos citar as principais:

a) NBR 6122 – Projeto e execução de fundações;

b) NBR 6118 – Estruturas de concreto armado – Procedimento;

c) NBR 8800 – Projeto de estruturas de aço e de estruturas mistas de aço e concreto de edifícios;

d) NBR 7190 – Projeto de estruturas de madeiras.

Elas especificam critérios de cálculo, dimensão e segurança de estruturas de concreto, metálicas e madeiras, respectivamente, utilizando coeficientes de segurança já há muito estudados.

Culturalmente, no Brasil, há um pensamento de que projetos elaborados por um profissional qualificado custam caro, fato que não é verdade. O projeto representa um percentual muito pequeno na obra e, além de trazer economia, ele garante a segurança da construção. Na verdade, o que se tem visto é a construção de galpões sem projetos ou a elaboração de projetos por técnico sem habilitação, como é o caso de médicos veterinários e zootecnistas.

Segundo a resolução nº 256/1978 da Lei Federal nº 5.194/1966, que regulamenta o exercício da profissão de Engenheiro Agrícola, qualquer pessoa, física ou jurídica, não habilitada legalmente, não pode exercer atividade privativa de construções para fins rurais. As construções rurais, como é o caso dos galpões CB, são atividades que geram impactos sociais, ambientais e econômicos na produção animal, por isso quando são realizadas sem a supervisão e acompanhamento de um profissional habilitado, podem acarretar problemas que afetarão a qualidade e a segurança da estrutura.

A legislação é muito clara e objetiva sobre a necessidade da elaboração e execução do projeto de um galpão CB contar com esta responsabilidade técnica. O Engenheiro Agrícola é um dos profissionais habilitados para projetar as construções rurais de forma assertiva, atendendo às normas de desempenho e de padrões mínimos de segurança.

É muito comum que os produtores assumam a responsabilidade pelas obras, dispensando assim a contratação de um profissional. A ausência de um profissional habilitado na condução de atividades de projetos e execuções do galpão CB pode ocasionar a responsabilização judicial. Além de diversos problemas no momento da construção como, por exemplo desperdício de materiais, aumento no prazo e custos para realização das atividades, assim como colocar em risco à segurança dos animais e das pessoas em razão dos prováveis erros que se originam desta prática ilegal.

Além disso, esse “deslize” pode custar caro, fazendo com que a construção sofra com problemas estruturais, fundações mal planejadas e até sobrecarga na estrutura. Tudo isso, é claro, pode colocar a construção do galpão em risco em pouco tempo, comprometendo a segurança dos animais, sem contar os problemas relacionado às trincas e fissuras, em pisos de concreto, normalmente presente no corredor de alimentação.

Erros comuns da construção

Problemas simples, como o caimento inadequado do piso de concreto, podem gerar dores de cabeça ao produtor. Esse problema acontece quando os profissionais não verificam, durante a construção do galpão, o caimento do piso de concreto. Geralmente, um engenheiro agrícola acompanhando a obra poderá detectar esse problema e evitar maiores transtornos.

Para realizar uma boa construção, mais do que pensar na estética do galpão, é preciso também considerar as características do terreno, pensando em exposição ao sol, a chuva e outros pontos importantes da obra que garantirão uma escolha correta dos materiais.

Outro problema muito recorrente na construção de galpões CB é a falta de um bom projeto hidráulico e de esgoto, o que pode gerar um problema bem conhecido: a falta de pressão de água nos bebedouros e entupimento da tubulação de dejetos.

Não planejar corretamente o circuito elétrico e, depois de um tempo, tentar instalar equipamentos com potências maiores que as suportadas, como ventiladores mais potentes ou aumentar o tamanho da ordenha, também é um erro frequente. Por isso, sempre deve-se planejar previamente todos os equipamentos e aparelhos que pretende ter no seu galpão CB, caso contrário, em pouco tempo o produtor terá de trocar toda a fiação da edificação e talvez até o disjuntor que atende os equipamentos em questão.

Influência das condições climáticas

Ao se projetar um galpão para bovinos leiteiros deve-se observar o local onde ele será construído, pois, por ser uma estrutura mais leve, fatores climáticos podem culminar no colapso dela. Em estruturas metálicas, por exemplo, o efeito do vento requer atenção especial, pois a mesma é muito mais leve se comparada ao concreto ao a madeira.

Sendo o Brasil um país de dimensões continentais, verifica-se uma grande variação climática e de carga de vento para determinadas regiões, assim, um dos erros mais comuns ao se construir um galpão é replicar um mesmo projeto em diferentes regiões.

Os altos valores de umidade interna são a principal causa da oxidação em máquinas e estruturas do galpão. A corrosão e a ferrugem podem se tornar problemas, ao ponto de comprometer estruturas e forçar o descarte de peças ou estruturas inteiras.

Para solucionar essas questões, é preciso, primeiramente, pintar a estrutura metálica com tinta apropriada, além de conhecer e identificar exatamente quais os locais afetados. A realização de manutenções periódicas, em intervalos de tempo pré-determinados, auxilia na prevenção da ocorrência dos problemas mais comuns na estrutura das construções rurais.

A utilização de sistemas de ventilação adequados também pode garantir ao ambiente a renovação constante do ar, prevenindo o excesso de umidade interna. Além disso, possibilita um controle mais eficiente da temperatura interna, garantindo conforto térmico adequado aos animais. O uso do lanternim pode permitir uma eficiente ventilação natural, auxiliando na dispersão de gases e poeira, agindo para melhorar a qualidade do ar e manter as condições da qualidade do ar interno.

O produtor deve ter em mente que um bom projeto de uma edificação animal deverá atender a todos os pontos da construção, desde a escolha do local, orientação da edificação, terraplenagem do terreno, a definição da fundação, até o orçamento e detalhamento do material, além de passar por pontos importantes como planejamento elétrico, hidráulico e acabamento do piso de concreto. Negligenciar a elaboração do projeto é pôr em risco a segurança do rebanho e se expor a um prejuízo desnecessário.

FONTE: MILKPOINT

Posts relacionados