fbpx
Escolha uma Página

Programa Nacional de Bioinsumos é lançado pelo Ministério da Agricultura

por | 29 Maio 2020 | Tendência

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) lançou na última quarta-feira (27) o Programa Nacional de Bioinsumos. O objetivo é impulsionar a utilização de recursos biológicos na agropecuária brasileira, aproveitando a biodiversidade do país e reduzir a dependência de insumos importados.

A formalização da política consta em um decreto editado pelo presidente Jair Bolsonaro e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, publicado no Diário Oficial da União (DOU). “Nesta política, todos estarão contemplados. O pessoal que trabalha orgânico há muito tempo, também a agricultura comercial que hoje já usa esse modelo de produção, ou combinado com o modelo convencional. Acho que todos têm a ganhar, os produtores de todos os tamanhos têm a ganhar, o Brasil tem a ganhar”, afirmou a ministra durante lançamento virtual do programa..

De acordo com o ministério, os bioinsumos abrangem uma gama ampla de soluções tecnológicas agrícolas, como inoculantes, promotores de crescimento de plantas, biofertilizantes, produtos para nutrição vegetal e animal, extratos vegetais, defensivos feitos a partir de micro-organismos benéficos para controle de pragas, parasitas e doenças, como fungos, bactérias e ácaros, até produtos fitoterápicos ou tecnologias que têm ativos biológicos na composição, tanto para plantas e animais, como para processamento e pós-colheita.

“Temos cerca de 10 milhões de hectares que já usam a produção de bioinsumos para o combate de pragas, e cerca de 40 milhões de hectares de área utilizada com bactérias que são promotoras de crescimento [de plantas]”, explica o secretário de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação do Mapa, Fernando Camargo. A expectativa da pasta é por um crescimento de 13% na área agrícola do país que utiliza bioinsumos. 

O ministério criou um site exclusivo para o programa, com uma série de informações ao público geral e também para produtores rurais interessados nos bioinsumos. Uma das novidades é um catálogo com todos os bioinsumos disponíveis e que podem ser adotados na produção. Para Fernando Camargo, a tendência é que o setor cresça bastante nos próximos anos.”Primeiro, nós temos uma grande oportunidade pela nossa tão falada biodiversidade, e segundo porque existe uma demanda do consumidor final por produtos sustentáveis, que usam essa base biológica”, explica. A expectativa é que o programa incentive mais a pesquisa no setor, crie melhores condições de registro das inovações e disponibilize mais produtos de base biológica.

Fonte: Agência Brasil

Posts relacionados

Gestão no agronegócio em tempo de crise

Gestão no agronegócio em tempo de crise

Passar por momentos de crise em uma organização, definitivamente não uma tarefa fácil. Aliás, mediante à uma das maiores crises econômicas que o mundo já enfrentou, é normal gerar diversas dúvidas, principalmente quando falamos sobre a gestão no agronegócio. O abalo...

A vida é boa na fazenda “The Family Pig”

A vida é boa na fazenda “The Family Pig”

Grupos de quatro porcas cuidam dos filhotes juntos e os leitões aprendem a fazer xixi no urinol. Em Venhorst, na província holandesa de Brabant, um consórcio está pesquisando um projeto inovador de galpão ecologicamente correto e livre de maus tratos chamado “The...

O campo brasileiro caminha para ter uma conexão plena de internet

O campo brasileiro caminha para ter uma conexão plena de internet

Esta semana um grupo de empresas fez a coletiva de imprensa da ConectarAGRO. A iniciativa já tinha sido apresentada em 2019, em uma feira em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, mas, agora, foi formalizada em uma associação. A ideia é que o campo tenha acesso à...