A tecnologia está surgindo cada vez mais inovadora! Muitas empresas estão apostando, por exemplo, em inteligência artificial e realidade aumentada para criar soluções sofisticadas. Contudo uma nova palavra surgiu e promete revolucionar a internet: o metaverso.

Recentemente o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciou em uma teleconferência com analistas que o metaverso “será o próximo capítulo” para a rede social. Segundo a empresa, serão destinados US$ 50 milhões (cerca de R$ 270 milhões) nesta nova tecnologia. Mas, você sabe o que é o metaverso?

O que é o metaverso?

A princípio, o metaverso pode até parecer uma nova versão da realidade virtual que já conhecemos. Mas ele vai além! Trata-se de um espaço compartilhado, na web, que recria a experiência física no ambiente digital. Nele as pessoas vão se relacionar on e offline ao mesmo tempo.

Este novo universo, ou realidade paralela, possibilita que as pessoas tenham uma experiência de imersão. Apensar de não ser, tecnicamente, algo real, o metaverso busca passar a sensação de realidade, oferecendo uma estrutura criada para isso.

Para adentrar este mundo os especialistas em tecnologia afirmam que utilizaremos dispositivos como smartphones, computadores e óculos de realidade virtual. Este, contudo, será menos volumoso e mais confortáveis dos que conhecemos atualmente. Esses equipamentos permitirão que tenhamos uma melhor imersão. A promessa também inclui novos equipamentos que podem surgir, por exemplo, para aumentar a experiência tátil, permitindo ao usuário sentir os objetos virtuais.

O metaverso vai muito além dos jogos

Foto: Bermix Studio/Unsplash

É usual relacionarmos a tecnologia aos jogos, já que esse tipo de “universo virtual” já faz parte dos jogos há um certo tempo. O Roblox, por exemplo, é uma plataforma que reúne milhares de jogos em um ecossistema onde os jogadores podem ter diferentes experiências.

A ideia de muitas empresas que tem apostado do metaverso, porém, como é o caso do Facebook, é utilizar este ambiente para criar novas oportunidades. O Facebook, inclusive, utiliza dois aplicativos de realidade virtual para suas reuniões: o Workplace e o Horizons. Em ambos os membros precisam utilizar um avatar virtual para participarem.

A experiência não para por aí. Tim Sweeney, da Epic Games, disse recentemente em uma entrevista para o Washington Post que imagina um mundo em que uma fabricante de automóveis possa disponibilizar um novo modelo na plataforma para que as pessoas consigam fazer um “test drive”.

Quando o metaverso será realidade?

Apesar de promissor, o metaverso ainda exige algumas atualizações na tecnologia atual para que se torne realidade e decole. Mais poder de computação, gráficos de alta qualidade e uma estrutura que permita que os usuários possam se mover de uma parte do metaverso para outro. Outras preocupações como a privacidade e segurança, por exemplo, também precisam ser abordadas com atenção.

Por enquanto o Metaverso é uma ideia que tem tudo para dar certo! Cabe a nós aguardarmos, ansiosos, ele se tornar realidade.

Gostou deste texto? Compartilhe-o com um amigo!