Os nematoides geram um prejuízo de R$ 35 bilhões por ano à agricultura brasileira, de acordo com dados da Sociedade Brasileira de Nematologia. A presença deles representa um dos maiores problemas das lavouras nos solos tropicais. Para tentar reduzir esse prejuízo, uma agtech brasileira desenvolveu uma tecnologia para escanear os vermes através de seu DNA.

Com o NemaScan, nome dado pela startup Biome4all, é possível identificar, com antecedência, quais tipos de nematoides podem realmente causar danos à lavoura e quais são inofensivos e, até mesmo, benéficos. Segundo a empresa, ele pode determinar com precisão a estrutura biológica da comunidade de vermes presentes no solo.

De acordo com Marcos Adonai Castro da Silva, microbiologista e cofundador da empresa, o sistema permite a identificação de gênero e espécie e dos ovos que foram depositados no solo. Esse detalhamento não é possível com os métodos tradicionais de análise, por exemplo.

O NemaScan pode ainda identificar a estrutura alimentar da população de nematoides, além da suscetibilidade das culturas agrícolas, indicando quais insumos são indicados para combater esse tipo de verme que atinge o solo.

Como a análise é feita?

Para que a análise seja realizada, é preciso retirar uma amostra do solo utilizando um kit de coleta desenvolvido exclusivamente para isso. Depois, os especialistas extraem o DNA da amostra e o sequenciam para que os dados sejam processados e interpretados pela tecnologia. O sistema, então, gera um laudo de análise do solo com todas as informações que o agricultor precisa.

Com o diagnóstico em mãos é possível especificar o melhor insumo para combater o nematoide. Essa tecnologia é importante, pois alguns microorganismos são benéficos ao solo, e quando o agricultor usa um produto qualquer, pode matar até mesmo esses vermes que são bons.

(Com informações UOL)